Padrão Oficial free-mo.br

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Padrão Oficial free-mo.br

Mensagem  Rica em Qui 19 Jul 2012 - 21:38

Padrão Oficial Free-mo.BR

Indice
1.0 Introdução
2.0 Quadro e pernas
3.0 Linha (trilho)
4.0 Fiação
5.0 Controle
6.0 Cenário
7.0 Glossáio
8.0 Histórico de Revisão


Legenda
[NP x.y, PR x.y, FAQ x.y, onde x. e y são números - exemplo: NP 2.15 e FAQ 1.7, PR 5.11]

NP = Norma Padrão. Todos os módulos Free-mo.BR e os participantes devem estar em conformidade com a exigência da Norma Padrão declarada.

PR = Prática Recomendada. Estes são procedimentos ou especificações que são fortemente recomendados para a confiabilidade máxima ou fidelidade.

FAQ = Frequently Asked Question / respostas que explicam o raciocínio por trás de um padrão particular ou Prática Recomendada.


1.0 Introdução
NP 1.1 O objetivo das Normas Padrão Oficial Free-mo.BR é fornecer uma plataforma para modelagem protótipo em um ambiente flexível e modular. Módulos Free-mo.BR não só fornecem condições para operar modelos realisticamente, mas também enfatizam um cenário realista coerente; operações realistas e confiável forma de trabalho. Free-mo.BR foi projetado para o contínuo desenvolvimento do modelo de maquete modular de ferromodelismo a altos níveis. Ele vai além do tradicional "setup" de circuito fechado com a criação de um universo de estilo modular verdadeiramente em "forma livre" que é orientado para operações, e fortemente influenciado pela ferrovia protótipo.

NP 1.2 Interoperabilidade: O Padrão do Free-mo.BR é um conjunto de requisitos para a construção de módulos de modelo da estrada de ferro em escala (ferromodelismo) que podem funcionar em conjunto sem dificuldades, mesmo quando estes módulos nunca tenham sido reunidos antes. A beleza do padrão Free-mo.BR é que ele permite aos modelistas recriar qualquer trecho de ferrovia protótipo ou imaginário dentro dos limites de seus módulos, que podem ainda ser combinados para interoperabilidade máxima com outros módulos Free-mo.BR.

NP 1.3 Um módulo módulo Free-mo.BR é um módulo de forma livre que está em conformidade com a Norma Padrão Free-mo.BR como descrito abaixo. (FAQ 1.5)

NP 1.3.1 Um módulo Free-mo.BR pode ter qualquer comprimento e as Placas Terminais (Interfaces de Conexão) podem ser em qualquer ângulo para o outro módulo Free-mo.BR.

NP 1.3.2 Um módulo Free-mo.BR pode ser uma seção ou um conjunto de duas ou mais seções que formam um módulo Free-mo.BR.

NP 1.4 O padrão Free-mo.BR determina os requisitos básicos das extremidades do módulo e dos trilhos (linhas, vias). A maioria dos módulos Free-Mo.BR tem duas extremidades, mas os módulos podem ter um, dois, três, ou mais extremidades. (FAQ 1.1)

NP 1.5 Módulos Free-mo.BR se dividem em três categorias básicas:

NP 1.5.1 Módulo de Linha Principal (ou de Movimento) - Módulos de Linha Principal apresentam direitos de passagem de linhas de movimento. Módulos de Linha Principal são projetados com curvas de raio grande e graus mínimos.

NP 1.5.2 Módulo de Ramal (ou Secundários) -. Módulos de Ramal apresentam direitos de passagem de ramais. Módulos de Ramais podem ter curvas de raio menor e graus mais acentuados do que os Módulos de Linha Principal.

NP 1.5.3 Mini-mo - Mini-módulos (mini-mos) têm placas terminais que são mais estreitas do que a placa terminal de largura padrão. Com isto em mente, um mini-mo pode ser um Módulo de Linha Principal ou Módulo de Ramal, de via dupla ou singela. (NP 1.6)

NP 1.6 Módulos tipo Mini-mo destinam-se a ser um subconjunto Free-mo.BR e não substituir ou excluir um módulo de comprimento equivalente ao padrão. Módulos de largura total são geralmente mais estáveis ​​e devem ser usados ​​sempre que possível.

2.0 Quadros e Pernas
NP 2.1 As Placas Terminais devem ser em madeira de 3/4" ou equivalente (compensado funciona bem) para fornecer a resistência suficiente para se fixar aos módulos Free-mo.BR adjacentes. (FAQ 2.1, PR 2.1.1)

PR 2.1.1 Evite Madeira de pinho Dimensional para o seu quadro de trabalho, pois tem uma tendência a deformar e "envergar" com o tempo, jogando fora o alinhamento da linha. Também tem se notado que a madeira compensado (contraplacado de bétula funciona bem)na medida de 3/4" sofre menor risco de envergar. (FAQ 2.1)

NP 2.2 As Placas Terminais de via simples devem ter 60cm de largura por 15cm de altura.



NP 2.3 As Placas Terminais de via dupla devem ter 66cm de largura por 15" de altura.



NP 2.4 O leito da linha deve ter 4mm de cortiça ou equivalente em compensado 10mm ou equivalente. Tiras de E.V.A. são aceitáveis ​​quando preparadas para evitar a flacidez ou flexão.

NP 2.5 A Altura nominal e mínima do carril, na placa de extremidade, é de 1,27m do chão. (FAQ 2.2, FAQ 2.6)

NP 2.6 Em módulos com graus, a elevação da extremidade elevada deve ser algum múltiplo de 2cm acima da extremidade baixa.

NP 2.7 A altura máxima da cabeça do carril, na placa de extremidade, é de 1,68cm do chão.

NP 2.8 O módulo (conjunto) deve ter pelo menos quatro pernas e ficar por conta própria.

NP 2.9 As pernas devem ter um ajuste contínuo de mais ou menos 4cm (pé tipo de parafuso).

NP 2.10 Os fundos das pernas devem ter ponta de borracha ou de protecção equivalente chão.

NP 2.11 Os módulos podem ser usados ​​com operadores e espectadores em um ou em ambos os lados. (FAQ 2.3)

NP 2.12 Não existem requisitos especiais de construção para benchwork Módulos Mainline com exceção dos padrões especificados acima (NP 2.1 até NP 2.11).

3.0 Linha
NP 3.1 módulos devem usar trilhos flex ou rígidos.

NP 3.2 A linha central de todas as faixas deve estar a 10cm ou mais dos lados do módulo em todo o traçado. (FAQ 3.1)

NP 3.3 Em um Módulo de Linha Simples, a linha deve ser centrada pela linha central do trilho na Placa Terminal de 60cm. (FAQ 3.4)

NP 3.4 Em Módulos de Linha dupla, as duas linhas centrais devem estar espaçadas exatamente a 5 cm de distância uma da outra pelas linhas centrais dos trilhos e centradas na placa terminal de 66cm. (FAQ 3.5)

NP 3.5 Linhas que atravessem a rota da linha principal do percurso devem ser perpendiculares à Placa Terminal distante 15cm de cada extremidade do módulo Free-Mo.BR.

NP 3.6 Linhas que acompanhem a Linha Principal em linha reta no percurso devem a 15cm de cada extremidade do módulo Free-Mo.BR.

PR 3.6.1 O ponto de curva para fora do módulo, não deve estar a menos de 15cm do final de um módulo Free-mo.BR.

NP 3.7 Os trilhos serão cortados a 25mm de distância a partir do final do módulo; dormentes e lastro devem ser continuados até o final do módulo com boa aparência e combinando com o módulo adjacente. Dormentes devem ser cortados sob as extremidades dos trilhos e até o final do módulo, para unir os trilhos e proporcionar liberdade de ajuste dos trilhos. (FAQ 3.2)

PR 3.7.1 Para habilitar setores de energia DCC, o módulo deve estar habilitado para adaptar trilhos isolados em cada Placa Terminal Free-mo.BR.

PR 3.7.2 Free-mo placas de circuito impresso gravata bordo são recomendados para as extremidades. (F7.1)

PR 3.7.3 placas de laço, onde os trilhos mais aptos passar por cima deve ser escavado um pouco para permitir que os trilhos mais aptos para acomodar qualquer irregularidade alinhamento vertical em pista entre os módulos adjacentes.

NP 3.8 Desvios (AMVs) devem ser pelo menos #6.

PR 3.8.1 Desvios no percurso da via devem ser #8 ou maior.

NP 3.9 Deve haver um mínimo de 30cm de trilhos em linha reta entre as curvas reversas.

NP 3.10 Em um Módulo de Linha Principal todos os trilhos da via de movimento devem ser code.100 nickel silver, sem exceção.

NP 3.11 Desvios, agulhas e outros trilhos de um Módulo de Linha Principal podem ser code.83 ou menor, mas não devem ser menores do que o code 40.

NP 3.12 O raio de curva mínimo permitido em uma rota através de um Módulo de Linha Principal é de 1,07m. Isso inclui linhas de manobras e desvios por linhas onde houver tráfego. (RP 7,4)

PR 3.12.1 Enquanto o raio mínimo permitido de curvas no percurso através de um Módulo de Linha Principal é de 1,07m, 1,22m e curvas maiores são preferíveis.

NP 3.13 O espaçamento entre as vias em curvas de um Módulo de Linha Principal deve permitir carros longos para operar sem raspar uns nos outros; observar Normas NMRA S-8 Centros de trilha para equipamento de "1ª Classe".

NP 3.14 O grau de elevação máximo permitido em um Módulo de Linha Principal é de 2% (2cm por metro). (FAQ 3,6)

NP 3.15 Curvas verticais através do percurso de um Módulo de Linha Principal devem ser adequadas para operação dos carros longos contemporâneos, ver
Standard S-7 Clearances and the NMRA Gage, and
NMRA Recommended Practices RP-11 Curvature and Rolling Stock.

4.0 Fiação
NP 4.1 A fiação consiste em 2 pares de fios Buss (buss buss pista e acessórios) e de 6 condutores LocoNet cabo buss.

NP 4.2 Track and fio buss acessório deve ser de 18 AWG ou maior.

PR 4.2.1 É recomendado o uso de fio flexível 14 AWG para a pista e Buss acessório. Ainda melhor é de 12 ou mesmo 10 AWG Cordas.

NP 4.3 As buss LocoNet deve ser do tipo telefone 6 cabos condutores.

NP 4.4 Haverá um 4 (ou mais) tira barreira posição no módulo em cada extremidade para a trilha eo fio buss acessório hook-up.

NP 4.5 Todos os fins devem ter um par de tampões de 2-pin Jones, um macho e uma fêmea (Cinch Número da peça P-302-CCT e S-302-CCT ou equivalente) para os buss pista. (FAQ 4,1)

NP 4.6 Todas as extremidades terão um único plug-reboque de 2 pinos (Radio Shack Número da peça de 270-026 ou equivalente) para a alimentação de acessórios.

NP 4.7 Todos os fins devem ter uma superfície de montagem "de 6 condutores de 6 posições" módulo de tomada (RJ12) montado no interior da placa motora para o Buss LocoNet. .

NP 4.8 Através fiação rota é a seguinte para plugues Jones (deve estar voltado para final do módulo para a perspectiva correta): (FAQ 4.2)

NP 4.8.1 Linha Simples -

Macho contato 2 trilho direito
Macho contato 1 trilho esquerdo
Fêmea contato 2 trilho esquerdo
Fêmea contato 1 trilho direito


NP 4.8.2 Linha Dupla -

Macho Contato 2 trilhos direitos
Macho contacto 1 trilhos esquerdos
Fêmea contacto 2 trilhos esquerdos
Fêmea de contacto 1 trilhos direitos

PR 4.8.1 - Em módulos de via dupla, para facilitar a sinalização ferroviária opcional / detecção, circuitos independentes, são recomendadas para cada faixa de modo que a detecção pode discernir um trem a caminho A ou B. faixa

NP 4.9 fio alimentador de faixa deve ser de 24 AWG ou maior, mas não superior a seis polegadas para a faixa de ônibus para evitar a perda de tensão.

NP 4.10 Todos os sapos comparecimento devem ser alimentados. Ramais não deverá contar com pontos de comutação para alimentar o sapo.

NP 4.11 poder Accessory deve ser de aproximadamente 16 volts AC ou DCC. O beijo está ligado direto. Uma ponte rectificadora e condensador de filtragem pode ser usado para converter AC ou DCC sinal de DC. Aplicações que requerem sinal AC ou DCC pode utilizar a energia diretamente do buss. (FAQ 4.3)

NP 4.12 Cada módulo terá um monte de dupla descarga "de 6 condutores de 6 posições" modular jack (RJ12) faceplate montados em cada lado exposto do módulo, para borboletas. (Digitrax UP-5 acelerador Jack ou equivalente)

PR 4.12.1 Por conveniência máxima em zonas onde os operadores se reúnem (como módulos de quintal) um ou mais módulos nestas áreas devem ter mais de um conjunto de tomadas de aceleração de cada lado.

PR 4.12.2 Na Seção Multi-módulo, cada módulo seções deve ter um monte de dupla descarga "de 6 condutores de 6 posições" modular jack (RJ12) faceplate montados em cada lado exposto.

NP 4.13 todos os conectores e cabos LocoNet associados precisam ser conectados direto (ou seja, pino 1 - pino 1, pino 2 - pino 2, pino 3 - pino 3, etc ..., note cabos telefônicos não estão ligados direto).

NP 4.14 Para conectar os buss DCC entre os módulos, um 2-pé RJ12 para RJ12 tipo direto através de cabo é utilizado.

NP 4.15 Para ligar um impulsionador DCC a um módulo, Há duas ligações que têm de ser feitas. (1) O LocoNet (2) The Power Track.

NP 4.1.15.1 Para o LocoNet, um 4 pé RJ12 para RJ12 tipo direto através do cabo é utilizado.

NP 4.1.15.2 Para o Poder Track, um cabo de 4 pés com uma fêmea e um macho de 2 pinos plug-Jones em uma extremidade é usado. Que está ligado entre a interface módulos e ligada à saída do amplificador de sinal.



5.0 Controle
NP 5.1 DCC compatível LocoNet e acessórios são padrão para a interoperabilidade e entre grupos Free-mo.BR. Para mais informações sobre LocoNet especificações técnicas consultar o site Digitrax.

NP 5.2 Para uma dada afluência, controles de desvio deve estar em todos os lados da secção de módulo ou módulo, exceptuando quaisquer placas terminais.

Afluência às urnas RP5.2.1 controles devem estar localizados na fáscia, e não nas superfícies horizontais ou verticais de seu cenário.

6.0 Cenário
NP 6.1 Todas Bancada de Trabalho devem ser escondidas por algum tipo de cenário.

NP 6.2 Geral cor fáscia módulo é complementar o cenário e não chamar a atenção da cena.

NP 6.3 Cenário no final padrão Free-mo.BR deve ter um perfil plano 3/8" abaixo da parte superior do trilho sobre o meio percurso.

NP 6.4 por via será lastreado Woodland Paisagem Luz Fina Cinza ou equivalente,

NP 6.5 cor padrão ferroviário na rota através é Floquil / Polly-S Telhado Brown ou equivalente.

PR 6.5.1 Lastro on Through rota deve ser resistida com uma fina névoa de Floquil diluído / Polly-S sujo preto ou equivalente.

7.0 Glossário
Módulo de Ramal

Módulo de Linha Principal

Mini Mo

Através da Rota

8.0 Histórico da Revisão
Free-mo.BR Normas Padrão e Práticas Recomendadas


fonte:
Código:
http://freemobr.forum-livre.com/t1-padrao-oficial-free-mobr#1
http://freemobr.forum-livre.com/t1-padrao-oficial-free-mobr#1

_________________
RICA

Ricardo Freitas
rdf.ferromodelista@hotmail.com

avatar
Rica
Admin

Mensagens : 123
Data de inscrição : 16/06/2012
Idade : 52

Ver perfil do usuário http://ricardfferromodelista.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum